ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Empresa Brasil de Comunicação abre vagas para Tradução - Ou Não



A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) publicou 3 editais para primeiro concurso público de nível médio (técnico) e nível superior (analista) para diferentes carreiras, incluindo a de tradução, sendo que 31 das 537 vagas são reservadas para portadores de necessidades especiais. Algumas das vagas são para contratação e outras para formação de cadastro-reserva, como é o caso das vagas para tradução, e serão distribuídas entre as cidades de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, São Luís e Manaus. 

Banca examinadora e provas

O concurso será realizado pelo CESPE/UnB, cujas provas serão aplicadas 25 de setembro no período da manhã e da tarde.

Os locais e o horário de realização das provas objetivas e da prova prática profissional serão divulgados a partir da data provável de 15 de setembro.

Inscrição e taxas

As inscrições estarão abertas entre os dias 15 de julho e 07 de agosto e a taxa para os cargos de nível superior é de R$ 62 e R$ 37 para nível médio.

As inscrições podem ser feitas pelo endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/ebc2011, com taxas de R$ 62,00 para Analista e R$ 37,00 para Técnico.

Compensação

A remuneração para a carreira de analista é de R$ 2.843,00 e de R$ 1.698,00 para a carreira de técnico. 

Sobre a EBC

A Empresa Brasil de Comunicação foi criada para suprir uma lacuna no sistema brasileiro de radiodifusão com o objetivo de implantar e gerir os canais públicos, aqueles que, por sua independência editorial, distinguem-se dos canais estatais ou governamentais.

Saiba mais sobre a Empresa.


Leia o edital na íntegra.

Edital nº 1 – Abertura - http://www.cespe.unb.br/concursos/ebc2011

Vagas para tradução - Ou Não

É surpreendente quando abre concurso para tradução. Muitos da área ficam extasiados. O mais esperado tem sido o do Senado Federal, que oferece um salário de 20 mil reais, um sonho para muitos tradutores que gostam da profissão e não precisarão ralar tanto para conseguia essa quantia fixa por mês.

Há também os concursos de tradutor juramentado, que ocorrem uma vez a cada 30 anos, mas que acabam por se tornar uma frustração quando é exigido que o candidato seja residente da região de investidura do cargo por pelo menos um ano. Em suma, para o tradutor que espera desfrutar da vida estável do concurso público, as chances são poucas e pelo que mostra o concurso da EBC, também não são fáceis.

No caso da EBC, apesar das vagas serem para exercício da prática de tradução, nos idiomas inglês e espanhol, uma amiga observou que, aparentemente, apenas aqueles com diploma em língua inglesa ou espanhola, como é o caso dos cursos “Letras-Inglês” ou “Letras-Espanhol”, poderiam concorrer às vagas. Para esclarecer essa questão, essa amiga, que tem diploma de Letras-Tradução com habilitação para o par de idiomas português/inglês, entrou em contato com o CESPE e foi informada que caso concorresse às vagas e passasse no processo, não poderia ser selecionada para assumir o cargo devido ao seu diploma, que é em tradução, não em línguas. É estranho, para não dizer bizarro, que o diploma de tradução, certificado pela Universidade de Brasília, não sirva para o preenchimento de uma vaga destinada justamente a um tradutor. Essa amiga, então, entrou em contato com o departamento de Recursos Humanos da EBC para colocar essas questões e, tendo sido compreendida, foi solicitada a fazer uma declaração formal, que deverá ser encaminhada para o departamento de assuntos jurídicos da Empresa.

Esse caso, que ainda se desenrolará, mostra o tratamento dado à tradução pelas demais esferas da sociedade. Como podem ignorar que existe um curso de tradução e, pior, que aquele que tiver um diploma na área não pode assumir o cargo?

Em verdade, trata-se de um ponto bastante controverso. É claro que há excelentes profissionais de tradução que não precisaram frequentar uma faculdade para traduzir assim como há profissionais recém-saídos de um curso de tradução e que, infelizmente, não são aptos para traduzir. Reconhece-se, ainda, que há profissionais com diplomas essencialmente de uma língua, que desempenham a tarefa com louvor, como também há aqueles que desconhecem completamente o processo de traduzir porque ainda estão presos às questões predominantemente linguísticas ou às práticas de ensino. Muito provavelmente, apenas as provas objetiva, discursiva e de prática profissional seriam capazes de peneirar os bons e os ruins, independente de diploma. Até lá, os profissionais que detém diploma de tradução, ou seja, estudaram efetivamente para isso, não devem ser impedidos de participar do processo de seleção.


Com colaboração de Raquel Barroso.

2 comentários

T.A.P.A.S disse...

to curiosa para saber se sua amiga conseguirá se candidatar. abraços

natalia

Jé Beleza disse...

Pois é, fiquei toda empolgada de ter visto que tinha vaga pra tradução e ao ler o edital vi que era reserva :/
Quando alguém souber se o diploma de tradução será aceito sem problemas me avisa?