ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Guia dos Tradutores Curiosos: Dublagem de Chaves no Brasil




Uma série que contou com mais de mil episódios, a notícia da passagem do intérprete e idealizador de seu principal personagem, Roberto Bolaños, aos 85 anos, despertou sentimento de tristeza e nostalgia em milhões de espectadores que acompanharam o cotidiano da vila ao longo de três décadas (o primeiro capítulo de Chaves foi transmitido em 21 de junho de 1971).

O sucesso do Chaves no Brasil não seria possível, contudo, sem o esforço e talento dos seus tradutores e dubladores, que deram voz à versão brasileira do seriado no país. Por isso, reuni uma série de vídeos e curiosidades sobre a produção e dublagem do serido no país.

Mini-Documentário: Dubladores em Ação (Chaves)
A Amazonas Filmes produziu um documentário sobre a nova dublagem do Chaves , lançado em 2005 e 2006, realizado pelo estúdio Gabia em São Paulo, em que relata o trabalho conjunto entre tradutores e dubladores. São apresentadas as vozes por trás dos personagens interpretadas por Marta Volpiani (D. Florinda e Popis), Carlos Seidl (Seu Madruga), Cecília Lemes (Chiquinha, Dona Neves), Osmiro Campos (Professor Girafales), Helena Samara (D. Clotilde) e Nelson Machado (Quico). A dublagem clássica emprestou as vozes de Élcio Sodré, Leda Figueiró, Luiz Carlos de Moraes e Sandra Mara, responsável pela primeira voz de Chiquinha (confira aqui encontro entre Chiquinha e a dubladora brasileira). A nova versão do seriado conta com Tatá Guarnieri (Chaves, Chapolin), Gilberto Baroli (Sr. Barriga), Alexandre Marconato (Godines), Gustavo Berriel (Nhonho, Jaiminho), entre outros.


O documentário de apenas 9 minutos explica que a nova geração procurou inspiração na antiga versão, que teve a frente Marcelo Gastaldi, dublada nos estúdios da TV S, além de apresentar apresentar conceitos básicos sobre o processo de dublagem, como a divisão do filme em trechos numerados conhecidos como "aneis", em seguida repassados para o dublador pelo diretor. Após serem localizados no roteiro pelo dublador, a cena é transmitida duas vezes pelo técnico-operador duas vezes antes de gravar, primeiro para que o dublador conheça o som original no monitor e, segundo, para ensaiar com o som original no fone, e, a terceira, para finalmente gravá-la - lembrando que nem sempre sai nas primeiras tentativas!

Confira o mini-documentário completo abaixo.



Para quem tem interesse neste ramo, não pode deixar de conferir os vídeos abaixo, com os dubladores dos personagens dos seriados e, mais importante, dando dicas valiosas sobre a rotina e como desenvolveram o trabalho! Vale muito a pena!

Carlos Seidl dubla Seu Madruga




Cecília Lemos dubla Chiquinha



Curiosidades sobre a dublagem de Chaves¹

Algumas curiosidades sobre a dublagem do seriado no Brasil são:

- O pessoal da dublagem teve trabalho para dublar as aulas de história na escolinha do Prof. Girafales, pois mudaram a história do México para a do Brasil. Somente em um episódio eles colocam a história do México.

- Chaves vive chamando o Seu Madruga de Ron Damón (no caso, o certo seria Don Ramón) no seriado no idioma original. No entanto, na dublagem brasileira, a expressão "Meu Sadruga" só aparece uma vez.

- Todas as músicas das séries Chaves e Chapolin são compostas pelo próprio Roberto Gómez Bolaños. E todas essas músicas (exceto "Taca la Petaca", do Romeu & Julieta) foram dubladas em português.


- Carlos Villagrán e seu dublador Nelson Machado nasceram com apenas 2 dias de diferença. O primeiro nasceu em 12 de janeiro e o segundo em 14 de janeiro. Os dois chegaram a se encontrar no programa do Jô Soares, em 1996, quando Jô ainda estava no SBT. Na ocasião, Jô entrevistou Carlos como se fosse o personagem Quico mesmo.

- Você sabia que Chapolin existe na vida real? Na verdade esse é o nome de um gafanhoto vermelho, que no México é comido. No México se comem vários insetos, assim como na Coréia do Sul e na China. O gafanhoto é comido frito e, como Chapolin, é vermelho, tem antenas e asas que mais parecem dois rabos. Daí o nome Chapolin.

- Por que o nome "Chaves"? Trata-se de uma história bem curiosa. "Chavo", na gíria mexicana, significa garoto, menino na idade de travessuras. No caso, o "Chavo" morava em um barril, na vila pobre. Como o movimento labial de Chavo em espanhol é idêntico ao de Chaves em português, foi escolhido esse nome para o garoto.

- Nhonho em espanhol, se chama Ñoño, que significa bobo, tonto.

- O seriado também foi dublado em italiano, sob o nome "Il Cecco della Botte" (literalmente, "O Chaves do Barril"). O nome das personagens eram: Cecco (Chaves), Chicco (Quico), Signore Bartolomeo (Seu Madruga), Florinda (Dona Florinda), Chiquirita (Chiquinha), Prof. Cacciapalle (Professor Girafales) e La Strega del 71 (Bruxa do 71).

- Maria Antonieta de Las Nieves, além de atriz, também é dubladora. No desenvolvimento do seriado, ela foi escolhida por Chespirito para fazer o papel de Chiquinha por sua belíssima voz. Ela era conhecida apenas pela voz em propagandas e vinhetas da Televisa. 

- Há uma abreviação do nome de Chiquinha. A abreviação é: Chilis, vem de Chilindrina, nome oficial da personagem em espanhol.

- Nas dublagens mais antigas, Chiquinha é chamada de Francisquinha, que é o diminutivo do seu nome, Francisca; e Seu Madruga era chamado de "Seu Ramon" referência a Don Ramon, nome original.

Curiosidades sobre os dubladores da versão atual e clássica de Chaves²

- O dublador original de Roberto Gómez Bolaños (Chaves), Marcelo Gastaldi, faleceu no dia 3 de agosto de 1995, aos 50 anos. Ele caiu na rua em meio aos carros. Na época rolaram até rumores dizendo que ele havia sido atropelado, porém a causa morte se deu devido a uma baixa em seu sistema imunológico, causado pelo agravamento de seu diabetes. Sua família hoje passa por necessidades e briga por direitos autorais de suas dublagens, principalmente em “Chaves”. A voz de Chaves ficou então com o dublador Daniel Muller
- O dublador original de Edgar Vivar (Seu Barriga), Mário Vilela, também faleceu, no dia 1 de dezembro de 2005 devido a complicações relacionadas a diabetes que ele já sofria há algum tempo. A voz de Seu Barriga ficou então com Gustavo Berriel.
- O dublador original de Carlos Villagrán (Quico), Nelson Machado, recusou a oferta do SBT, achou muito baixa a proposta e talvez tenha se sentido desvalorizado. Assista aqui Nelson Machado comentando sobre os episódios inéditos do Chaves.
- O dublador original de Ramón Valdés (Seu Madruga), Carlos Seidl, hoje com 65 anos de idade, se recusou a dublar os episódios inéditos do Chaves por também não aceitar a proposta do SBT. Foi decidido portanto que a dublagem do personagem seria substituída pelo trabalho do dublador Marco Moreira.

Pequena biografia dos dubladores do seriado Chaves

A página Vila do Chaves traz uma lista e pequena biografia dos diversos dubladores dos personagens de Chaves, como Martha Volpioni (Dona Florinda e Pópis) e Carlos Seidl (Seu Madruga). Leia na íntegra aqui.

Piadas sem sentido: obstáculos na tradução

A página Vila do Chaves tem outra seção muito interessante para tradutores, que aborda os problemas de adaptação de piadas devido a falta de correspondentes em português ou aspectos culturais em espanhol. Não deixe de conferir! É bem interessante e pode ser acessado aqui.

30 anos da dublagem de Chaves

Equipe de dubladores de Chaves no Brasil
A página Casa da Dublagem faz uma retrospectiva sobre as três décadas de dublagem do seriado Chaves no Brasil, trazendo informações interessantes sobre a fase de testes para seleção dos dubladores e o processo de direção e tradução. Imperdível! Confira a matéria completa aqui.

Chaves na Academia

Confira artigos acadêmicos sobre a tradução e dublagem do seriado no Brasil clicando nos títulos abaixo:


A dublagem no Brasil, de Leandro Pereira Lessa

Ebook Chaves de um sucesso, de Pablo Kaschner. Tópico "Os dubladores" no capítulo "Os 'culpados' pelo sucesso": dedicado aos dubladores brasileiros, que criaram vozes marcantes para os atores mexicanos.


Veja também: Agora É Tarde, com os dubladores Nelson Machado, Cecília Lemes e Garcia Jr.




¹ Curiosidades retiradas na íntegra de a Vila do Chaves, exceto as quatra últimas, retiradas de Coisas do dia Z.
² Curiosidades retiradas na íntegra de Rock'n'Tech.