ÚLTIMAS NOTÍCIAS

"Transfusão" – I Encontro de Tradutores da Casa Guilherme de Almeida



Em virtude da data escolhida para celebrar mundialmente os profissionais de tradução, cujo padroeiro é São Jerônimo, 30 de setembro será o dia de abertura da primeira edição do “Transfusão”: I Encontro de Tradutores da Casa Guilherme de Almeida, evento que se estenderá até 3 de outubro com apoio do Centro de Estudos de Tradução Literária da Casa Guilherme de Almeida. Para mais informações, clique aqui.

Com o intuito de refletir sobre o ato da tradução como criação literária, o evento reunirá escritores, tradutores e pesquisadores como Augusto de Campos, Aurora Bernardini, Lucia Santaella, Nelson Ascher, Trajano Vieira, João Ângelo Oliva Neto, John Milton e o espanhol Joaquim Mallafré.

Confira a programação completa:

30 de setembro

18h30 – Recepção dos inscritos

19h – Abertura do Encontro

Por Clóvis Carvalho, diretor executivo da Org. Social de Cultura POIESIS

Breve apresentação do Centro de Estudos de Tradução Literária e do I Encontro de Tradutores da Casa Guilherme de Almeida Por Marcelo Tápia, diretor da Casa Guilherme de Almeida

19h20 – Apresentação musical

CANTO GREGORIANO

Pelo Coro do Mosteiro de São Bento

20h – Mesa-redonda

JERÔNIMO TRADUTOR

Por Érico Nogueira e D. Afonso Maria Lima Correia

A atividade de Jerônimo de Strídon como tradutor da Bíblia do grego antigo e do hebraico para o latim, bem como questões tradutórias imanentes à sua versão do texto bíblico, a Vulgata, serão tema de uma mesa-redonda no Dia Internacional do Tradutor, celebrado na data da morte do santo cristão.

20h45 – Recital

POESIA TRADUZIDA INÉDITA

Com Álvaro Faleiros, André Vallias, Claudio Daniel, Dirceu Villa, Michel Sleiman, Nelson Ascher e Simone Homem de Mello

Tradutores de poesia de diversas línguas lerão trabalhos ainda não publicados. A ideia do recital é revelar a diversidade de dicções e apresentar aspectos do processo de criação dos tradutores, além de divulgar projetos de tradução literária em andamento.

21h15 – Apresentação

MÚSICA E POESIA GREGAS

Por Marcelo Tápia e músicos convidados

Arquíloco, Eurípides e Safo serão alguns dos autores gregos evocados nesta breve apresentação literomusical.


1º de outubro


10h30 – Palestra

POESIA EM TRADUÇÃO

Por Nelson Ascher

A especificidade da tradução de poesia e os desafios impostos à recriação poética são tema de uma palestra sobre abordagens teóricas e procedimentos relativos a essa atividade.

14h – Palestra

ODORICO MENDES: “PATRIARCA DA TRADUÇÃO CRIATIVA”
Por Paulo Sérgio Vasconcellos

Tradutor da épica greco-latina para o português, o maranhense Odorico Mendes (1799 – 1864) inaugurou, no país – com Eneida Brasileira (1854) e Virgílio Brasileiro (1858) – obra que reuniu suas traduções anotadas da Eneida, das Bucólicas e das Geórgicas, e com suas recriações da Ilíada e da Odisseia, de Homero, publicadas em 1874 e 1928 – uma vertente de tradução como recriação poética. A palestra abordará a contribuição de Odorico Mendes ao que se considera, hoje, uma tradição inovadora na tradução de poesia no Brasil.

16h – Mesa-redonda

AUGUSTO DE CAMPOS E A “TRADUÇÃO-ARTE”

Com André Vallias, Aurora Bernardini e Lucia Santaella

O poeta Augusto de Campos – coinventor da Poesia Concreta em âmbito internacional, ao lado de Décio Pignatari e Haroldo de Campos, no grupo Noigandres – contribuiu para uma significativa ampliação do repertório poético em língua portuguesa, por meio de suas traduções de diversos idiomas, como o provençal, o inglês, o alemão, o francês e o russo. Sua concepção e sua prática da “tradução-arte”, uma referência fundamental para as últimas gerações de tradutores brasileiros de poesia, serão abordadas em uma mesa-redonda com poetas e pesquisadores.

19h – Recital

POESIA ESTRANGEIRA VIA AUGUSTO DE CAMPOS

Por Augusto de Campos e Cid Campos, Carlos Rennó, Frederico Barbosa, Ivan de Campos, João Bandeira, Marcelo Tápia e Simone Homem de Mello

Um espetáculo literomusical de poemas traduzidos por Augusto de Campos – com participação do próprio poeta, do músico Cid Campos e de convidados – apresentará uma amostragem de sua obra tradutória.

2 de outubro


10h30 – Mesa-redonda

PROSA EM TRADUÇÃO: REFLEXÕES

Por Alzira Allegro e Stella Tagnin

A mesa abordará a especificidade da tradução de contos, resgatando aspectos teóricos, reflexões de contistas a respeito de suas próprias criações e procedimentos específicos da tradução desse gênero narrativo.

14h – Mesa-redonda

GUILHERME DE ALMEIDA, RECRIADOR

Com Álvaro Faleiros, Marcelo Tápia e Roberto Zular

O poeta modernista Guilherme de Almeida destacou-se, em sua atividade literária, como autor de extenso conjunto de traduções de poesia, além de ter incursionado na tradução de prosa e de drama. Tradutor da Antígone, de Sófocles, e divulgador da poesia francesa no país, publicou obras hoje consideradas referenciais: Poetas de França, Paralelamente a Paul Verlaine e Flores das “Flores do mal” de Baudelaire. Sua reflexão sobre a atividade tradutória como “recriação”, um ato de inventividade interlingual que ele também qualificava como “transfusão”, será objeto de discussão entre poetas e pesquisadores.

16h – Mesa-redonda

HAROLDO DE CAMPOS, TRANSCRIADOR

Por Marcelo Tápia e Trajano Vieira

Com suas traduções de poesia, que abrangem da Bíblia à poesia simbolista francesa, da Ilíada de Homero à vanguarda moderna alemã, do teatro Nô japonês a Octavio Paz, entre outros autores e textos traduzidos de diversas línguas e épocas, Haroldo de Campos inscreveu-se na tradução literária brasileira como uma referência fundamental. A fala inicial abordará brevemente o conceito de “transcriação” conforme se apresenta na obra teórica e tradutória de Haroldo de Campos, e a segunda tratará mais especificamente de sua tradução da Ilíada.

19h – Recital

GALÁXIA BABÉLICA

Com Carlos Fernando Nogueira, Christopher Mack, Francesca Cricelli, Ivan de Campos, Jorge Schwartz e Simone Homem de Mello.

As traduções para diversos idiomas da prosa poética de Galáxias (1984), de Haroldo de Campos, comporão um recital multilíngue. Num espetáculo de diversas vozes, serão lidos fragmentos desse livro-poema em português, espanhol, francês, italiano, inglês e alemão.

3 de outubro


10h30 – Mesa-redonda

DIREITOS AUTORAIS DO TRADUTOR: A LEGISLAÇÃO E A PRÁTICA EDITORIAL

Com Cide Piquet, Heloísa Barbosa, Nancy Rozenschan e Patrícia Luciane de Carvalho. 

Em um debate sobre o contexto editorial, jurídico e trabalhista da profissão do tradutor literário, os participantes da mesa abordarão as implicações legais do reconhecimento da atividade tradutória como autoria.

14h – Mesa-redonda

CARLOS ALBERTO NUNES, DE HOMERO A SHAKESPEARE

Com João Ângelo Oliva e John Milton

Com suas traduções da Ilíada e da Odisseia, de Homero, dos Diálogos, de Platão, e da Eneida de Virgílio, além da obra dramática completa de William Shakespeare, entre outros textos da literatura universal, Carlos Alberto Nunes contribuiu para a formação de um cânon de clássicos em língua portuguesa. Rigor formal, domínio da versificação e fluidez textual são alguns dos atributos deste tradutor a serem discutidos por estudiosos de sua obra.

16h – Mesa-redonda

TRADUZIR JAMES JOYCE

Com Caetano Galindo, Donaldo Schüler e Maria Teresa Quirino

A obra do escritor irlandês James Joyce requer, por seu alto grau de inventividade, uma intervenção mais evidente do tradutor como recriador da obra literária. Donaldo Schüler, tradutor de Finnegans wake para o português, e Caetano Galindo, autor de uma nova tradução de Ulysses a ser publicada em breve, discutirão os desafios impostos pelas obras mais complexas de Joyce.

19h – Palestra

JAMES JOYCE EM CATALÃO: UM MÉTODO TRADUTÓRIO

Por Joaquim Mallafré e Maria Teresa Quirino

O tradutor Joaquim Mallafré, de Terragona (Catalunha), exporá os procedimentos adotados em suas traduções de James Joyce. Para criar um universo literário análogo ao do escritor irlandês em língua catalã, Mallafré criou um sistema próprio de tradução, a ser tematizado nesta palestra.


Nenhum comentário