Header Ads

Dica da semana: ManyThings.

Geralmente, o desejo de se tornar um tradutor surge após nosso contato prolongado com outro idioma (também pode ser decorrente da necessidade do momento!). Sabendo que um idioma é um instrumento mutável, uniforme e que nunca dorme, ou seja, sempre está mudando com o tempo, é essencial que nunca se deixe de praticá-lo, quer seja através de filmes, livros, músicas, frequentando ou lecionando aulas, ou mesmo do contato direto com falantes nativos daquele idioma. Outra maneira de se manter em dias com outro idioma é através da Internet, a qual tem facilitado infinitamente o estabelecimento da ponte entre países distantes. Antes, poderíamos nos comunicar com os "pen pals" por cartas, agora basta enviá-los um "email". Nesse atual momento tecnológico que vivemos, pessoalmente, eu costumo configurar todos os meus instrumentos para o inglês, o italiano ou alemão. Assim, meu celular, meu computador e programas que acesso constantemente, como twitter facebook, estão em língua inglesa. Acredito que isso seja uma maneira de memorizar e, principalmente, aprender palavras básicas de outro idioma. Outro hábito que tenho é ler notícias em língua inglesa, nas páginas do The Guardian, The Daily Telegraph, The Economist e, às vezes, The New York Times. Digo "às vezes" porque considero a disposição das notícias do New York Times muito bagunçada, visualmente falando. Em relação ao italiano, também acesso, embora com bem menos frequência, o Corriere della Sera e, em alemão, o Der Spiegel. Não falo nem francês nem espanhol, portanto não acesso nenhum canal de notícia desses idiomas, mas é claro que recomendaria o Le Monde ou o El Pais. Veja aqui uma lista dos principais jornais do mundo.

Como tradutora, considero esses veículos de comunicação, tanto quanto os livros e as músicas, importantes como forma de reciclagem contínua para aqueles que não têm oportunidade de se comunicar pessoalmente ou em tempo real com falantes nativos do idioma que estão aprendendo ou com o qual trabalham. 

Em especial no caso dos jornais de língua inglesa, posso dizer, baseada em uma pesquisa que fiz há um ou dois anos, que são excelentes também para a aquisição de vocabulário informal. Sim, informal. Ao contrário dos jornais brasileiros - se isso ocorrer em outros idiomas, por favor, me avisem - não existe toda essa formalidade quanto ao tom redacional da notícia. Lembro que, à época da minha breve pesquisa, fiquei abismada - para não dizer encantada - com a presença de inúmeras expressões e palavras que, no momento da tradução, precisam ser substituídas por outras mais formais. Assim que puder, publicarei esse trabalho aqui.

Nesse sentido, conciliando a ideia de praticar e aprender um determinado idioma, gostaria de apresentar, para aqueles que o desconhecem, o Many Things, uma página, ela própria se autoproclama, interessante para estudantes de inglês como segunda língua. 

Many Things, deliciosamente livre de propagandas e anúncios, possui uma série de recursos, como jogos de palavras, quebra-cabeças, provérbios, gírias, anagramas, criador de sentenças aleatórias, vocabulário, gramática, e, entre muitos outros, o que mais gosto: uma seção para ler e ouvir um texto. Narrada no formato de áudio .mp3, é possível ler e ouvir sobre diversos assuntos, incluindo saúde, meio ambiente, fatos e até discursos de Barack Obama. As gravações têm durações variadas, de 50 segundos a 15 minutos. Eu descobri a página na época que pesquisava sobre as diferenças entre o inglês britânico e americano, tendo encontrado o excelente texto American and British English. Aproveite para ouvi-lo aqui e explorar os outros textos. 

Espero que gostem!

Gostaria de alguma dica sobre algum assunto em especial? Mande um email para nós: ecosdatraducao@gmail.com.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.