Header Ads

12 Sinais de Falta de Profissionalismo em um Trabalho de Tradução



Postado originalmente em março de 2012 aqui.
Minha maior frustração como gerente de projetos de tradução não é corrigir erros ou refinar o estilo, mas lidar com tradutores “cabeça de vento”. “Cabeça de vento” é a pior alcunha que um empregador israelense possa conferir a um de seus funcionários. Refere-se a uma pessoa concentrada estritamente em suas próprias responsabilidades, sem nunca tirar tempo para dar um passo para trás e olhar o projeto como um todo.
Outro dia, um tradutor retornou um documento cheio de tabelas como um texto simples. Quando chamei sua atenção para reformatá-lo, eis o que me disse:
Reformatar… sua mensagem inicial não menciona explicitamente formatação como parte das entregas.
*Suspiro!*
Ao longo das últimas semanas, perguntei tanto a clientes quanto a tradutores como é uma tradução de qualidade. Acontece que existe uma enorme lacuna entre como ambos os lados veem uma tradução. Enquanto a maioria dos tradutores focam quase que exclusivamente nos erros, os clientes estão em busca de um trabalho que reflita uma abordagem proativa e demonstraram interesse em criar um documento de alta qualidade.
Eis 12 estratégias simples, selecionadas a partir de conversas com clientes, agências e tradutores para gerar um documento de qualidade. Estes são os requisitos. O tradutor que não seguir nenhuma destas etapas NÃO está fazendo seu trabalho.

1.       Fazer suposições – se houver algo errado, pergunte. Fazer suposição errada lhe fará parecer menos profissional do que uma pergunta extra.
2.       Linguagem literal – não traduza literalmente, mas use um estilo natural de tradução com linguagem idiomática (a menos que seja uma tradução reversa, cujo caso pergunte a seu gerente de projeto)
3.       Deixar passar aspectos culturais – destaque e alerte o gerente de projetos sobre qualquer coisa no original que possa parecer ofensiva, inaceitável ou peculiar para o público da língua de chegada.
4.       Mudar a formatação – a formatação do texto original (como tabelas, cores, negrito, sublinhado, itálico, fontes grandes/pequenas e ilustrações) deve ser reproduzida na tradução.
5.       Ignorar convenções – use pontuação, citação, formatação de números e outras normas da língua de chegada. Não copie cegamente.
6.       Moedas, números e datas – consulte seu gerente de projeto se é necessário converter a moeda ou escrever as datas por extenso.
7.       Fazer adivinhações – Busque no Google por nomes de pessoas, empresas, publicações, lugares, entre outros para garantir a grafia correta. Se for um nome desconhecido, destaque e alerte seu gerente de projetos.
8.       Manter os erros – se notar algum erro ou discrepância no original, destaque e alerte seu gerente de projetos.
9.       Pular o processo de Garantia de Qualidade – depois de traduzir, compare a tradução com o original, sentença por sentença, para ter certeza de que não está faltando nada e todo o significado está apresentado de forma apropriada. Se tiverem números no documento, verifique mais de uma vez.
10.   Desrespeitar o estilo – releia a tradução para refinar o estilo e identificar erros de digitação, entre outros.
11.   Esnobar o corretor ortográfico – Não acredito que preciso assinalar isso, mas POR FAVOR use o corretor ortográfico em todas as traduções. Certifique-se de configurar o corretor no dialeto correto (ex.: inglês dos EUA vs. inglês do Reino Unido)
12.   Alterar o nome dos arquivos – mantenha a estrutura de pastas e nomes dos arquivos originais, salvo instruções em contrário.

Tem mais alguma dica? Compartilha com a gente!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.