ÚLTIMAS NOTÍCIAS

E-BOOK: Altos Contrastes: Contrastes sintáticos - português/francês/inglês - para Tradutores



Tradutora desde 1987, Benedetti já fez trabalhos para algumas das maiores editoras do Brasil, traduzindo uma lista extensa de obras de renomados autores como Montaigne, Voltaire, Boccaccio, Umberto Eco, Paul Ricoeur, Foucault, Sartre e muitos outros. Ela mesma é escritora, tendo assinado três títulos de ficção: Immaculada (romance), Tenho um cavalo alfaraz (contos) e Cabo de guerra (romance) e um livro sobre a conjugação de verbos portugueses. Para saber mais clique aqui.

Sua mais recente publicação e de grande interesse para a área de tradução é Altos Contrastes: para tradutores, um livro que usa conceitos sintáticos comparativos. Por exemplo: quando o inglês usa um present participle, o que usamos nós? Outro exemplo: dependendo da posição de dont francês, qual será sua tradução? Ou então: a posição do sujeito inglês deve ser mantida ou mudada? 

Por meio de exemplos práticos, Altos Contrastes: para tradutores analisa os contrastes sintáticos entre os pares de línguas português-inglês e português-francês, com o objetivo de nortear o tradutor profissional ou amador nas suas escolhas sintáticas e lhe dar instrumentos para a criação de textos agradáveis e fluentes em português.

O texto foi publicado em formato Kindle, disponível na Amazon, mas poderá ser lido em qualquer tablet. Leia uma prévia do livro aqui.

Para saber mais sobre a autora, acesse: https://www.ivonecbenedetti.com.br/.

Confira, abaixo, o conteúdo:

INTRODUÇÃO

1. Artigos: quando faltam, quando sobram

1.1. Nota preliminar

1.2. Artigos definidos (contraste inglês/português)

1.3. Artigos indefinidos (contraste inglês/português)

1.4. Artigos definidos (contraste francês/português)

1.5. Artigos indefinidos (contraste francês/português)

2. Sujeito: caos administrável

2.1. Generalidades sobre as posições do sujeito na frase

2.2. Contraste inglês/português

2.3. Contraste francês/português

3. O on francês: um sujeito problemático

3.1. Preliminares

3.2. Sobre o se: voz passiva ou indeterminação?

3.3. A tradução de on na prática

4. Tradução das formas francesas terminadas em -ant e das inglesas em –ing

4.1. Quando não se deve traduzir pelo gerúndio

4.2. Inglês e francês: quando a posição conta

5. O pronome relativo “que” em português

6. Como o tradutor de francês pode tratar o qui e o que

6.1. Quando o conjunto qui + être pode ser omitido

6.2. Quando a oração iniciada por que pode virar voz passiva

6.3. Ciladas do que francês

6.4. Qui + verbo que vira gerúndio

7. As insuspeitadas complexidades do dont francês

7.1. Quatro estruturas contrastantes ou nem tanto, para começar

7.2. Tradução por como

7.3. Tradução por do(a)s quais, entre o(s) quais

8. Predicativo do objeto

8.1. Primeiramente em inglês

8.2. Alguns exemplos franceses que justificam a reformulação

9. Possessivos (e às vezes também indesejáveis)

9.1. Em inglês

9.2. Em francês

9.3. Conclusões

10. Um singular plural

Nenhum comentário